Bem vindos, meus caros

Não sei o quanto você sabe de mim. Imagino que possa ser família, amigo ou amiga, colega de profissão. Amigo(a) de amigo(a), talvez.  Ou amigo(a) de família. Tem ainda família de amigo(a), curiosos, interessados, bisbilhoteiros. E, claro, os fãs do nosso eterno ídolo Ayrton Senna. Sejam todos muito bem vindos. E obrigada, de coração, pelo interesse. 

Depois de mais de 3 décadas em Londres*, tem horas que acho que me inglesei demais. (Foto: em Trafalgar Square 1987) .Outras horas, ainda me espanto – ou me irrito – com as inglesices deste povo. Quando estou no Brasil, ouço frequentemente o ‘Você inglesou demais’ quando insisto em marcar dia  e horário certo para um encontro – E chegar na hora!; fazer reserva em restaurante; pedir desculpas por se chocar com alguém na rua; ficar preocupada com o comportamento correto na fila.  Sério, ‘guilty as charged’  (= culpada) para todas acima. 

Na Inglaterra, ainda recebo olhares desaprovadores quando gargalho alto num restaurante, tomo sol de biquini no meu jardim ou interrompo um amigo para fazer um comentário ou uma pergunta. Imagina só! Interromper os outros é um esporte nacional no Brasil. Alguém já contou quantos assuntos ficaram inacabados durante um jantar com amigos? Se forem mais de 4 mulheres então…xiiiii Não acaba nenhum. Tenho a impressão de que a gente nem quer terminar nada. A liberdade de poder dar um palpite a qualquer hora, de ser ouvida por todas e poder ouvir todas é , afinal, o que vale.

Pois é, neste blog vou tentar passar pra vocês o que é ser uma expatriada. O meu foco de expatriada, claro. A definição no dicionário de Cambridge explica ‘ alguém que não mora no seu próprio país” ?!? O que? Próprio país? Quem define isto? E como? O seu ‘próprio’ país é onde você nasceu, onde cresceu, onde estudou, onde seus pais nasceram, onde casou, onde mora com sua familia? Se a resposta for a mesma para todas estas perguntas fica fácil. Eu nasci sem gostar do fácil.

Meu coração brasileiro aprendeu a viver em boa sintonia com minha alma londrina. Mas só porque Londres tem um coração de mãe: aceita tudo, abraça todos os comportamentos , adapta-se a todas as tendências. Oferece de tudo – cultura, cursos e culinária  – a todos. Por isto, a minha viagem de férias em junho de 1987 foi se estendendo, se estendendo….

Vou usar este blog pra começar uma conversa construtiva e divertida – principalmente divertida – sobre a relação Brasil – Reino Unido. O Brasil e o chamado Mundo Desenvolvido. Será? Vou postar crônicas semanais expondo meu olhar crítico e expatriado sobre o cotidiano. Vou contar sobre campanhas tópicas, mencionar projetos interessantes, falar de eventos, bares e exposições, inclusive as off-the-beaten-track = fora do caminho conhecido.

No menu acima você vê : Inglesices =  esquisitices e excentricidades desses súditos da Rainha Elizabeth. Tem coisa mais esquisita do que isto? Inglesando =  quando me surpreendo fazendo as mesmas esquisitices. Frases = expressões, citações ou comentários que me intrigam, divertem ou provocam. E por fim, Impacto Social = vou escrever sobre projetos, iniciativas, start ups e tudo que me chamar atenção pela  abordagem criativa/inteligente/eficaz  ao enfrentar os problemas da sociedade de hoje. Sempre com o intuito de acrescentar algo positivo; mudar para melhor.

Espero conseguir entreter e divertir; informar e gerar interesse. Mas também aprender e descobrir coisas novas. Este é um blog de duas vias. Conto com seus comentários, ideias, histórias,  sugestões e até puxões de orelha.  

* Na verdade, morei 18 meses em Paris.

28 Replies to “Bem vindos, meus caros”

  1. Adorei o texto e a forma descontraída.Gostei muito das abas do menu e estou curiosa. Com certeza vai ser um blog bem divertido e que vou ler com frequência. Seria bom ter um alerta a cada crônica nova para os assinantes. Sucesso!

    Liked by 1 person

  2. Kick start sucesso do que, tenho certeza, vai ser um blog delicioso de acompanhar. Can’t wait p ouvir suas inglesices, reparar nas minhas, e rir de todas elas. Vai que vai Be. Tamo juntas! Bjos

    Liked by 1 person

  3. Betise, nunca pensei que fazer uma pergunta ou um comentário, no meio de uma conversa, soaria mal por aí . Essas diferenças culturais são bem interessantes, assim como seu texto. Adorei

    Liked by 1 person

    1. Oi Sandra. Não é que ninguém diga nada no meio de uma conversa. Os ingleses apenas esperam a pessoa terminar o raciocínio ou a história que estiver contando. Nós, brasileira tendemos a interromper para fazer um comentário ou uma pergunta que leva a outro comentário de uma terceira pessoas na mesa….. 😉

      Gostar

  4. Legal, também sou expatriada.
    E também dizem que “americanei”.
    Mas a verdade eh que hoje em dia fico muito incomodada com os atrasos enormes dos brasileiros que nem se desculpam qdo chegam, porque acham normal.
    Detesto não poder fazer reservas em restaurantes no Brasil. Não sei para que serve o OpenTable.

    Liked by 1 person

    1. Pois é, Selma. Vamos trocar muitas figurinhas por aqui. Também fico frustrada com não poder fazer reservas. Mas acabo ou indo em restaurantes menos badalados – aliás bem mis gostosos para curtir a companhia das pessoas – ou marco mais cedo. tem muitos outros aspectos emocionais bem mais importantes e interessantes, né? Pode contar aqui também.

      Gostar

  5. Adorei!! A temática do blog é fantástica, pelo visto vou aprender (e principalmente me divertir) muito com seus relatos sobre o cotidiano na chamada terra da rainha. Bateu até vontade de ir morar de novo por aí, seis meses foram muito pouco, rs. Beijos e sucesso!

    Liked by 1 person

    1. O dia a dia é parecido. Este blog me dá motivação para continuar me informando, aguça minha curiosidade – as vezes preguiçosa – e aumenta minha vontade de compartilhar esses ‘conhecimentos’, essas experiências e a infinita oportunidade de aprendizado que esta cidade proporciona. Pode sugerir assuntos.

      Gostar

  6. Adorei ler suas histórias londrinas ,lembrando de qdo meus pais foram me buscar na sua casa num aniversário e me levaram um presente ,pois depois da meia noite era o meu aniversário isso em 1975
    E das viagens com nossas famílias
    Vou acompanhar todas as suas histórias daqui pra frente
    Bj

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s